sexta-feira, novembro 05, 2010

Ele é mas é espanhol!



(Na livraria, uma tarde de sábado, cliente de meia idade, mal encarado, em frente a uma estante de literatura lusófona)

Cliente: Isto é incrível! Realmente incrível...(e continua durante uns minutos) Inadmissível!
Eu: Boa tarde, precisa de ajuda...?
Cliente: É uma vergonha, têm os livros todos mal arrumados!
Eu: ...precisa de ajuda para encontrar alguma coisa?
Cliente: Não preciso de ajuda nenhuma, já encontrei e mal arrumado!
(Nisto tira um livro do Mário Cesariny da prateleira)
Eu: (sem perceber) ... não me diga, o que é que encontrou mal arrumado?
Cliente: (prontamente) O Cezariny! O que é que está aqui a fazer?!
Eu: (incrédula) ... o Cesariny...?...não estou a perceber.
Cliente: Sim o Cesariny! Sabe quem é, por acaso?!
Eu: (ainda a apanhar bonés) Estaremos a falar do mesmo Cesariny? ... Mário Cesariny? ... um dos percursores do movimento surrealista... português? ... artista plástico... poeta...?
Cliente: (já bastante irritado) Português? Ele não era português!
Eu: ... desculpe, mas era.
Cliente: Não! Não era!
Eu: Desculpe, mas era.
Cliente: Você é uma ignorante!
Eu: (depois de um micro-segundo em que me apeteceu esbofeteá-lo) ... Pois... sabe o que é? É que eu só tirei a 4ª classe, fala-se pouco de literatura no ensino Básico. Ele é mas é espanhol, como o Saramago, não é? (e virei as costas e foi-me embora, satisfeita)