quinta-feira, novembro 25, 2010

Levar baile de um cliente (e ainda por cima achar-lhe piada)



O cliente entra na livraria, pede um livro que não temos e pede para encomendar. Ao iniciar a encomenda peço-lhe o contacto que ele dá e depois o nome. Ele responde "Rato" e eu pergunto prontamente "... e o primeiro nome?". Ele faz uma pausa, sorri e responde com uma seriedade inabalável "Rato Mickey".

domingo, novembro 14, 2010

Interpol no Campo pequeno, EU FUI!!

Na sexta passada, os Interpol estiveram em Lisboa para um concerto no Campo Pequeno. Apesar das condições de som estarem muito aquém do que seria desejável o concerto foi fantástico!! Em breve vou tentar deixar aqui alguns do videos que consegui fazer do concerto. Para já digo-vos que o Rest My Chemistry levou toda a gente à loucura... well well. Enjoy.

sexta-feira, novembro 05, 2010

Ele é mas é espanhol!



(Na livraria, uma tarde de sábado, cliente de meia idade, mal encarado, em frente a uma estante de literatura lusófona)

Cliente: Isto é incrível! Realmente incrível...(e continua durante uns minutos) Inadmissível!
Eu: Boa tarde, precisa de ajuda...?
Cliente: É uma vergonha, têm os livros todos mal arrumados!
Eu: ...precisa de ajuda para encontrar alguma coisa?
Cliente: Não preciso de ajuda nenhuma, já encontrei e mal arrumado!
(Nisto tira um livro do Mário Cesariny da prateleira)
Eu: (sem perceber) ... não me diga, o que é que encontrou mal arrumado?
Cliente: (prontamente) O Cezariny! O que é que está aqui a fazer?!
Eu: (incrédula) ... o Cesariny...?...não estou a perceber.
Cliente: Sim o Cesariny! Sabe quem é, por acaso?!
Eu: (ainda a apanhar bonés) Estaremos a falar do mesmo Cesariny? ... Mário Cesariny? ... um dos percursores do movimento surrealista... português? ... artista plástico... poeta...?
Cliente: (já bastante irritado) Português? Ele não era português!
Eu: ... desculpe, mas era.
Cliente: Não! Não era!
Eu: Desculpe, mas era.
Cliente: Você é uma ignorante!
Eu: (depois de um micro-segundo em que me apeteceu esbofeteá-lo) ... Pois... sabe o que é? É que eu só tirei a 4ª classe, fala-se pouco de literatura no ensino Básico. Ele é mas é espanhol, como o Saramago, não é? (e virei as costas e foi-me embora, satisfeita)

quinta-feira, novembro 04, 2010

º Texto sujo º




Foi naquele mês de Novembro que tudo se precipitou. As paredes a contar cigarros, as palavras, eu eu, uma espécie de janela fechada à espera de um Inverno que se faz tardar. Nunca quis que Deus me desse uma redenção, esse Deus que parece troçar de nós enquanto joga às cartas e ao azar. O que eu queria é que ele me esquecesse, já que me tinha abandonado. Não quis uma redenção, queria sim um pouco de coerência, uma que me permitisse deixar de estar zangada, andar pela estrada, sem demoras.
Com o passar do tempo já não me engano e aquele que finge que ama a mim já não me traz consolo. Mas a minha casa não é só uma casa - é uma morada - e assim, tornou-se fácil voltares para passares os dias à ombreira da porta, à espera.
Deixas-me assim um texto sujo, longe da literatura que tanto estimo, essa literatura que guardo no bolso do casaco e que não te pertence. Tenho que insistir: não te pertence aquela literatura que alimenta mais que o pão apesar do meu corpo estar cada vez mais esfomeado. E apesar daquele mês de Novembro, voltei a encontrar-te num violoncelo, num soalho de madeira e num copo de vinho. Encontrei-te na boca de uma mulher e nas mãos de um amante a chorar com uma carta de amor amarrada ao peito.
Habituei-me a ter-te a espreitar a cada esquina, a atravessar o passeio de lado a lado da rua, a apressar o passo, a mudar de direcção. Transformei-me certamente na tua herege preferida só por ser a mais esquiva.
É em Novembro que volto à minha velha máquina de escrever, uma exigência ou uma herança que me entregaste e eu nunca quis. Moldaste-me os dias e deixaste-me um texto sujo, o meu, um rascunho com paixão mas sem alma, dois ou três parágrafos desfeitos, como uma peça à qual falta a didascália e um actor e o pano. A mim, parece faltar-me as pernas, os braços, a voz e o coração desaparece-me do peito. Escrevo promessas em fitas vermelhas e amarro-as às árvores porque tudo o que tenho é um texto sujo que não me livra de ti e que nem sequer é belo.

Acordei com isto na orelha...

sexta-feira, outubro 29, 2010

Para os meus anos quero esta casinha.... Vá lá! Não sejam sovinas....

Vejam a casinha toda aqui... é de ver e chorar por mais....

quarta-feira, outubro 27, 2010

Um sentido de humor oportunista.



Não consegui deixar de achar genial este anúncio em particular num video deste senhor em particular.

Eu sei que isto tem andado parado.

(isto foi a melhor coisa que me ocorreu dizer na ausência de qualquer coisa remotamente melhor)

quarta-feira, agosto 25, 2010

Por falar em bons covers....

domingo, agosto 22, 2010

Este blog tem o prazer de anunciar o fim da Silly Season. A emissão será retomada.

segunda-feira, julho 05, 2010

It is I Leclerc!


Mas quem não se lembra do Allô Allô?

segunda-feira, junho 21, 2010

Manifesto Anti Vuvuzela e por extenso por Wanduska, cidadã bastante irritada.



Basta pum basta!!!

Uma geração que consente deixar-se ensurdecer por uma vuvuzela é uma geração que nunca o foi. É um coio de barulhentos, de vizinhos incómodos e de surdos! É uma resma de tolos e de vendidos, e só pode parir abaixo de zero!

Abaixo a geração!

Morra a vuvuzela, morra! Pim!

Uma geração com uma vuvuzela a cavalo é um burro impotente!

Uma geração com uma vuvuzela ao leme é uma canoa em seco!

A vuvuzela é uma inútil!

A vuvuzela é meia inútil!

A vuvuzela é pirosa! A vuvuzela cai mal em qualquer ocasião!
A vuvuzela é vuvuzela! Morra a vuvuzela, morra! Pim!

A vuvuzel irrita tanto em Lisboa, como em Lamego, como Tóquio, como no Casaquistão!

E a vuvuzela teve claque! E a vuvuzela teve palmas! E a indústria de vuvuzelas agradeceu!

A vuvuzela é uma pedra no sapato!

Não é preciso ir pró Rossio pra se ser pantomineiro, basta tocar a vuvuzela!

Não é preciso esforçar-se para desagradar, basta tocar a vuvuzela Basta não ter escrúpulos nem morais, nem artísticos, nem humanos! Basta andar com as modas, com as políticas e com as opiniões!

Morra a vuvuzela, morra! Pim!

A vuvuzela em génio nem chega a pólvora seca e em talento é pim-pam-pum.

A vuvuzela é horrorosa!

A vuvuzela cheira mal!

Morra a vuvuzela, morra! Pim!

A vuvuzela é o escárnio da consciência!

Se a vuvuzela é cool eu quero ser anti-cool!

A vuvuzela é a vergonha da intelectualidade portuguesa!

A vuvuzela é a meta da decadência mental!

E ainda há quem não core quando diz gostar da vuvuzela!

A vuvuzela é um pesadelo, uma prova de mau gosto!

Quando tocam vuvuzelas eu quero tampões para os ouvidos! E filtros de som para os jogos na televisão, e partir o pescoço do vizinho de baixo, atirar pedras aos carros em movimento em que algum cretino sopra aquela imbecilidade pela estrada fora!

E ainda há quem lhe estenda a mão!

E quem a toque!

E quem ache que "até-é-giro"!

E quem gaste os pulmões a tocá-la!

E ainda há quem duvide que a vuvuzela não vale nada, e que não serve para mais que fazer um barulho de dar cabo dos nervos!

E fique sabendo a vuvuzela que se todos fossem como eu, haveria tais munições de manguitos que levariam dois séculos a gastar.

Mas julgais que nisto se resume poluição sonora? Não Mil vezes não!

Indiferente às criticas, o seleccionador da África do Sul, Carlos Alberto Parreira, já pediu aos adeptos que "soprem as vuzuzelas o mais alto possível" e Danny Jordaan, presidente do comité organizador da prova, garantiu que este será "o Mundial mais ruidoso de sempre".

Morra a vuvuzela, morra! Pim! Morra a vuvuzela, morra! Pim!



P.S. - Obviamente inspirado no Manifesto Anti-Dantas do Almada Negreiros. Se estivesse vivo de certeza que detestava vuvuzelas.


Viva o solstício de Verão que este ano é as 11 horas e 28 minutos da manhã.

E para comemorar com tod@s vocês decidi escolher um grande clássico.






Post scrit - Reparem na sensualidade arrebatante dos dançarinos. Um homem a dançar assim no Lux levava-me ao altar. Miauuu.

sexta-feira, junho 18, 2010

Não podia deixar de fazer esta nota.


1922 - 2010

quinta-feira, junho 17, 2010

Muito bom.

Não consigo parar de ouvir esta música, socorro!


Concrete jungle.....

terça-feira, junho 08, 2010

Pânico doméstico III.

Só tu sabes como conseguiste gratinar a tampa do microondas.

terça-feira, maio 18, 2010

Pânico doméstico, capítulo II.




Não.
Não podes lavar a minha camisola preferida de caxemira na máquina de lavar, muito menos no programa de sintéticos.


P.S - Eu gosto de ti na mesma (mas não voltas a tratar da roupa).

Pânico doméstico, capítulo I.


Interveniente A: Podes pôr a roupa na máquina?
Interveniente B: Sim, ponho já.

(uns minutos depois o interveniente A dirige-se à máquina para a ligar.)

Interveniente A: AAAAAAAAAHHHH!!
Interveniente B: O que foi?
Interveniente A: Não separaste a roupa. Misturaste roupa escura com roupa branca.

(o interveniente B começa a assobiar para o ar)

Interveniente A: Bom, a roupa escura e de cor e branca separam-se. Tens aqui detergente específico para roupa escura e aqui detergente para a outra roupa e ainda o amaciador. Os atoalhados se for possível também convém lavar à parte. As peças delicadas convém lavar à mão com este detergente ou no programa de peças delicadas.

Tenho a certeza que já sabias isto.

sexta-feira, abril 23, 2010

Vem aí o mamamoto!!!!


As mulheres perversas ameaçam destruir o mundo!
Vejam isto aqui no Bitaites.... e também no Facebook.

(...isto é muito bom, muito bom...)

Lido.

A História do Senhor Sommer - Patrick Süskind

Para quem (tal como eu) só tinha lido deste autor O Perfume, fica uma pequena surpresa num registo bem diferente. Esta é a história comovente de uma infância que podia ser a nossa.

Lido.


"E não havia maneira de me habituar a viver morto."

quarta-feira, abril 07, 2010

je n'ais pas peur de la route

sexta-feira, março 19, 2010

A cromice total ou porque sou uma perfeita idiota. Parte 2


Comprar uma barra de oxigenação para pôr no aquário e não reparar que para que a dita coisa funcione são necessários os restantes acessórios, nomeadamente tubo e bomba. Melhor: colocar a barra no aquário e ficar intrigada à espera que algo aconteça.

A cromice total ou porque sou uma perfeita idiota. Parte 1


Ir ao supermercado buscar jantar, escolher uma refeição no serviço de comida take away pensando que é lasanha e chegar a casa e ter gratinado de pescada para jantar.

sexta-feira, fevereiro 19, 2010

Já devem ter reparado...

... mas o Cigarettes&Vinyl está de cara lavada. E não... não fui eu a artista aqui do sítio. Foi a minha mana gémea, que é designer e remodelou aqui este estaminé.
Espero que gostem, eu gostei.

quarta-feira, janeiro 27, 2010

Tininha, 'tás lá.



"Who needs a heart
When a heart can be broken?"



Grandes legs e cheia de wisdom.

quinta-feira, janeiro 21, 2010

Liga e diz: estás vestida? É claro que a resposta não pode ser boa.

Tal e qual.

quinta-feira, janeiro 07, 2010

Lembram-se disto? Eu nunca mais me esqueci...


Dirty Dancing - Final Dance
Cliquem no link acima para ver, o Youtube não permite incorporação deste video.



Ghost - The spirit of Love

segunda-feira, janeiro 04, 2010

O novo single dos Bat for Lashes!


When I first saw you/

I knew that you had/

A flame in your heart.