quinta-feira, agosto 06, 2009

Bounjour tristesse....


Acordamos com a vida em suspenso. Magoamos os nós dos dedos de bater o tempo nas arestas da mesa. Um amanhecer ao contrário na algibeira. Levamos as mãos ao rosto, ao cabelo, ao pescoço e não encontramos nada. Nada a não ser o silêncio. Quando temos alguém próximo a morrer, a vida parece-nos um jogo inútil e cruel, e a espera assume a forma de um castigo insuportável.