quarta-feira, agosto 20, 2008

Anäis Nin pela manhã.

Photobucket


"
Pára de tremer, de te agitar, de sufocar, de amaldiçoar, e reencontra o teu fundo que sou eu. Descansa das complicações, destorces e deformações. Por uma hora serás eu; ou antes, a outra metade de ti própria. Aquela parte de ti que tu perdeste. O que queimaste, partiste, estragaste encontra-se entre as minhas mãos. Eu sou guarda de coisas frágeis e preservei de ti o que há de indissolúvel."

2 comentários:

Vio disse...

texto interessante :)
olha, deixei o tlm em casa, já te ligo aqui do travalho mais daqui a bocado. BTW, há coisas novas no meu blog.**

Im.no.lady disse...

certo, certo :)