quinta-feira, maio 22, 2008

º como num poema º

Sinto a morte como num poema de Garcia Llorca, bebo como nas músicas dos Doors, estou Love will Tear Us Apart nas noites pardas, já não quero saber de nada como naquele filme do Wong Kar Wai em que a poesia dói tanto como um retrato de Arbüs.

Sem comentários: